segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

[à] [uma] [flor]

Parei no tumulto enquanto estava em Las Vegas, decidi ir [à]quelas cabines vermelhas de telefone, o copo de uísque ainda sob a bancada junto a alguns dólares que restaram de uma noitada. Liguei pra agradecer. A garota pálida enfeitada com os cabelos negros dissera que se sentira na minha leitura. Entre centelhas, moças devassas e pernas de pau, ela se encontrou. Quanta honra! Minha poesia atravessou minha pele e se expôs ao nu. Ela, h[uma]na genuína, decifrou e entre lindas metáforas me descreveu. Num instante minha carne se dissipava num céu azulado oscilante de inquietude e calma. Ela me trans[flor]mou!

pontual Dani, depois de “Presente de Deus”)


2 comentários:

  1. Que coisa mais linda! =')) Te amo.

    ResponderExcluir
  2. http://dropoflemon.blogspot.com/2011/02/selo-projeto-creativite.html

    um selo pra você.
    beijo.

    ResponderExcluir

miradores comentaram